top of page

Xantoma Eruptivo

O xantoma eruptivo é uma doença cutânea que ocorre mais comumente nas superfícies extensoras de extremidades, nádegas e ombros, podendo ser causada por hipertrigliceridemia grave. A hipertrigliceridemia pode ser devido à diabetes mellitus não controlado, alcoolismo, obesidade mórbida com resistência significativa à insulina e hipotireoidismo descontrolado.

Fisiopatologia. O mecanismo pelo qual se forma a lesão dermatológica do xantoma está provavelmente associado ao extravasamento de lipoproteínas circulantes para o tecido a partir dos capilares. Na derme, particularmente no tecido perivascular, os lipídeos são fagocitados por histiócitos, constituindo-se em células macrofágicas abarrotadas de lipídeos no citoplasma, que podem ser denominadas de células xantomatosas /espumosas ou permanecem acumulados nos interstícios.

Manifestações clínicas. A expressão clínica ocorre quando há níveis elevados de triglicerídeos circulantes, em geral acima dos 3.000 mg/dl, e com possibilidade de picos de até 20.000 mg/dl. Clinicamente, os xantomas eruptivos apresentam-se como pápulas vermelho-amarelado e tipicamente de 1 a 5 mm de diâmetro. Elas geralmente se formam nas superfícies extensoras dos membros superiores e inferiores, bem como nas nádegas. As lesões podem ser pruriginosas, sobretudo se forem severas.

Diagnóstico. Histopatologicamente, os achados mais utilizados para o diagnóstico são aglomerado de macrófagos repletos de lipídeos sem infiltrado linfocitário importante. O diagnóstico do xantoma eruptivo é essencialmente clínico, apoiando-se no padrão característico das múltiplas pápulas. A comprovação se dá pelas evidências histológicas e presença da hipertrigliceridemia, em geral acima de 3.000 mg/dl.

Diagnóstico diferencial. O diagnóstico diferencial inclui granuloma anular disseminado, histiocitose de células não-Langerhans (xantoma disseminado, forma micronodular do xantogranuloma juvenil) e histiocitoma eruptivo generalizado. O xantoma eruptivo se diferencia do granuloma anular disseminado pela abundância de histiócitos perivasculares e histiócitos xantomizados, presença de depósitos lipídicos e deposição de ácido hialurônico nas bordas. O xantoma disseminado consiste em pequenas pápulas vermelho-acastanhadas distribuídas uniformemente na face, dobras cutâneas, tronco e extremidades proximais. O xantogranuloma juvenil ocorre principalmente em crianças e é caracterizado por discretos nódulos amarelo-alaranjados, que comumente aparecem no couro cabeludo, face e tronco superior. É, na maioria dos casos, uma lesão solitária, mas lesões múltiplas podem ocorrer.  As lesões do histiocitoma eruptivo generalizado são pápulas firmes, eritematosas ou acastanhadas que aparecem em culturas sucessivas sobre a face, tronco e superfícies proximais dos membros.

Tratamento. O tratamento do xantoma eruptivo envolve restrição alimentar, exercício e terapia medicamentosa para controle da hiperlipidemia e diabetes.  O desaparecimento dos xantomas é de forma lenta e depende da redução ao normal ou próximo do normal dos níveis de triglicerídeos, não sendo incomum a recidiva clínica dermatológica se houver retorno aos níveis elevados de triglicerídeos.

whatsapp-icone-2.png
bottom of page