Oleosidade excessiva, como controlá-la.

Oleosidade excessiva, como controlá-la.

Queixa frequente nos consultórios, a oleosidade da pele é um problema incômodo e muitas vezes difícil de resolver.

Aqui vão algumas dicas para tentar controlá-la:

– Recomenda-se higienização adequada da pele 2 vezes ao dia com sabonetes adequados para peles oleosas;

– Uso de produtos contendo retinóides, ácido glicólico, LHA ou ácido salicílico para uso diário;

– Esfoliação semanal 1 a 2 vezes por semana;

– Peelings químicos e microdermoabrasão também ajudam a controlar a oleosidade e podem ser feitos com intervalos quinzenais ou mensais;

– Para os pacientes que não respondem ao tratamento convencional, pode-se fazer uso off label da isotretinoína oral em baixas doses. A medicação é tradicionalmente usada para tratamento da acne, mas pode ser utilizada para controle da oleosidade em doses mais baixas. Ela induz atrofia das glândulas sebáceas (glândulas produtoras da oleosidade), diminuindo a produção de óleo e sebo.

Orientações para prevenir inflamação da barba

Orientações para prevenir inflamação da barba

O problema chama-se pseudofoliculite da barba e surge pelo ato de barbear. Quando esse pelo volta a nascer, ao tentar emergir na pele, pode curvar-se para dentro da pele, gerando inflamação. O problema é a reação de corpo estranho gerada pelo nascimento do pelo, dessa forma, o único tratamento definitivo, é a depilação definitiva da faixa afetada, normalmente a área submandibular.

Mas para tentar evitar o problema, algumas medidas podem ser adotadas como:

– Utilizar a lâmina apenas uma vez, usando uma nova lâmina a cada depilação
-Tentar usá-la no sentido do crescimento do pelo e passando o menor número de vezes possível. Se possível, não depilar diariamente. O ideal seria 1 a 2 vezes por semana.
-Higienizar e esfoliar a pele antes de fazer a barba, isso desobstruirá os poros, facilitando a saída do pelo.
– Creme de barbear e produtos pós barba devem ser usados, de preferência sem álcool.
– Seu dermatologista também pode prescrever produtos que induzam renovação celular para serem usados diariamente.

BB cream ou CC cream?

BB cream ou CC cream?

O BB CREAM é composto por protetor solar (FPS 15 ou 30), hidratante e primer em cor de base. O objetivo é proteção solar, uniformizar o tom de pele e hidratar.

Mais recentemente foi lançado o CC cream, uma versão mais completa do BB cream que contém os mesmos ativos do BB cream, além de ativos clareadores, antioxidantes e com pigmentos de cor mais intensos, que uniformizam melhor o tom de pele e disfarçam rugas e linhas finas, em uma textura mais leve, que se adapta melhor as peles oleosas.

 

Recomendações para cuidados com os cabelos

Recomendações para cuidados com os cabelos

Recomenda-se que os cabelos sejam lavados em dias alternados, exceto quando se pratica atividade física diária, quando deverão ser lavados ao chegar. Recomenda-se SEMPRE filtro solar capilar para as atividades feitas ao ar livre, especialmente durante o dia.

Evite água muito quente nos cabelos pois pode estimular a oleosidade da raiz,piorando a dermatite seborreica e a queda, ao mesmo tempo que pode ressecar o fio. Evite também dormir de cabelos molhados, pois facilita a proliferação de fungos e o desenvolvimento da dermatite seborreica, que pode levar ou agravar a queda de cabelos.

Na rotina capilar, orienta-se uso de xampus com pH entre 5 e 7, e se cabelos forem quimicamente tratados ou muito agredidos, deve-se optar por um de pH mais ácido. Em seguida, usa-se o condicionador que deve ser completamente retirado. Leave in ou óleo de pontas a base de silicone podem ser usados após a lavagem. Se vai usar secador, não esqueça o protetor térmico.

Recomenda-se uso de xampu anti-resíduo a cada 7 ou 15 dias, seguido do uso de máscara capilar (hidratação), que deve ser usada 1 vez por semana. Ao retirar a máscara aplica-se o condicionador, que deve ser completamente retirado. Essa hidratação é feita através de substâncias que tem moléculas pequenas, principalmente a base de óleos de silicone, que conseguem recuperar a cutícula do fio (envoltório protetor do fio).

Precisa repor colágeno oral?

Precisa repor colágeno oral?

Colágeno é uma proteína do corpo que tem função de estruturar e sustentar as células. A partir dos 30 anos, sua produção cai progressivamente. Aos 50 anos, temos apenas 50% do colágeno prévio no organismo. Dúvida frequente entre os pacientes é se a reposição oral de colágeno é útil para o tratamento anti-idade e para melhorar a firmeza da pele.


Quando ingerimos o colágeno via oral, este é digerido no trato gastrointestinal, sendo degradado a aminoácidos. Esses aminoácidos futuramente se juntarão novamente, formando proteínas, mas não necessariamente colágeno e não necessariamente na pele.  Ainda faltam estudos para indicar a reposição de colágeno oral no tratamento do rejuvenescimento cutâneo e não há comprovação científica até o momento que embase seu uso.


Quando falamos sobre induzir formação de colágeno, estamos nos referindo aos cremes ou procedimentos locais que estimularão sua produção na área tratada, como laser de CO2 fracionado, luz intensa pulsada, Nd YAG 1064, dentre ouros.

Alimentação adequada, uso de antioxidantes orais, minerais e vitaminas adequados, como a vitamina C por exemplo, podem ajudar, pois são elementos essenciais à formação do colágeno.  

 

Cuidados com o pescoço

Cuidados com o pescoço

O pescoço com o tempo, pela ação depressora da musculatura, adquire um aspecto flácido e enrugado. Por se tratar de uma superfície de pele visível e que denuncia as marcas do tempo, não deve ser esquecido durante os cuidados diários com a pele.

Hidratantes, ácido hialurônico, vitamina C, fatores de crescimento, derivados retinóides, e antioxidantes são algumas das substâncias indicadas para tratar e prevenir o envelhecimento da área.Cremes tensores podem ser usados durante o dia, para melhorar a firmeza da pele, agindo de forma temporária. O filtro solar não deve ser esquecido.

Para flacidez, a radiofreqüência e o infravermelho (Titan) têm sido usados com bons resultados. Com a chegada mais recente do Ulthera, que trouxe melhores resultados, a flacidez do pescoço tornou-se um problema passível de solução e que traz excelente resposta e satisfação ao paciente.

Não deve ser esquecido, que a prevenção ainda proporciona os melhores resultados. Cuide do seu pescoço.

Cuidados com as mãos!

Cuidados com as mãos!

São as mãos que evidenciam os primeiros sinais do envelhecimento e invariavelmente denunciam nossa idade. Como requerem cuidados constantes, recomenda-se o uso noturno regular de hidratantes com antioxidantes e filtro solar diário, especialmente para as pessoas que dirigem. Esfoliação semanal ajuda a remover as células mortas da pele e promove aspecto mais suave e luminoso.

Para as mãos envelhecidas o uso de Skinboosters (hidratação cutânea injetável a base de ácido hialurônico de cadeia leve) restauram o equilíbrio hídrico e melhoram a elasticidade e estrutura da pele, promovendo hidratação profunda da pele e suavizando as rugas finas.

O uso de preenchedores cutâneos são indicados para restaurar o volume perdido e promover aspecto mais jovem à região, não denunciando a idade.

Para as mãos manchadas, aplicações de luz intensa pulsada ou laser Nd-Yag tipo Q-Switched promovem excelentes resultados.

 

 

Suplementos para musculação gerando oleosidade e acne

Suplementos para musculação gerando oleosidade e acne

Os benefícios do uso de suplementos a base de carboidratos e proteínas no ganho de massa muscular e definição corporal já estão bem estabelecidos.

Mas pelo mesmo mecanismo de ganho de massa muscular, (insulina e fator de crescimento insulina símile -1), esses suplementos aumentam à atividade das glândulas sebáceas, e consequentemente a oleosidade da pele, podendo agravar ou mesmo induzir o surgimento das temidas espinhas.

Complexos contendo vitamina B12 podem causar irritação do folículo piloso, reação inflamatória cutânea e acne, inclusive em pacientes sem histórico de acne ou propensão para o problema.

Para os fãs do Whey Protein, um dos suplementos mais vendidos no mundo, trata-se de um mix de aminoácidos protéicos e vitamina B 12, sendo o mais implicado hoje, no surgimento de acne relacionada a suplementos para academia.

 

Crianças e mosquitos: A partir de que idade usar repelente?

Crianças e mosquitos: A partir de que idade usar repelente?

Os repelentes servem para diminuir a atração do mosquito pela pele. Eles atuam formando uma camada de vapor com odor repulsivo aos insetos sobre a pele.

Até os 6 meses de idade, o ideal é não usar repelentes e usar somente protetor de barreira contra insetos, como mosquiteiros e cortinados.

A maioria dos produtos repelentes possuem em sua formulação DEET. Crianças menores de 2 anos devem utilizar repelentes com a concentração de DEET inferior a 10%, que conferem proteção por 2 horas (Off Kids, Autan) e podem ser reaplicados 1 vez ao dia. Deve ser evitado o uso ao dormir. E, neste caso, o melhor é hidratar a pele com loção hidratante. Devem ser utilizados em pequena quantidade e em associação a medidas físicas.

Pode-se também optar por produtos sem DEET ( Exposis infantil spray, Johnson e Johnson loção repelente), que teriam menor toxidade, mas também menor eficácia.

Acima dos 2 anos o uso de produtos infantis está liberado.
O repelente, em locais com muitos mosquitos, deve ser reaplicado a cada 3 horas. Se em forma de spray, sai com mais facilidade. Por isso, é preferível usar loções em creme que duram mais sobre a pele.

Roupas de manga comprida diminuem a área de exposição aos mosquitos, que são atraídos por odores, perfumes, suor, etc. Roupas de tecidos mais grossos protegem mais. Barreiras à entrada dos mosquitos também ajudam, como telas nas janelas. Aliás, as janelas nunca devem estar abertas no início da manhã e no começo da tarde. Mosquiteiros também podem ser usados.

Fonte: Sociedade Brasileira Dermatologia e Sociedade Brasileira Pediatria

 

Pele sensível. Orientações!

Pele sensível. Orientações!

Pele sensível representa a sensação de ardor, prurido e queimação quando o paciente utiliza na face um cosmético ou medicamento. Ocorre em até 10% dos usuários de cosméticos.
Na verdade, pele sensível não significa alergia, representa uma intolerância ao produto apenas ao ser aplicado no rosto. Hoje, considera-se pele sensível como um tipo de dermatite de contato irritativa.
Homens e mulheres, principalmente os de pele clara, podem apresentar sensibilização. Pacientes com dermatite seborréica, dermatite atópica, rosácea e outras dermatites de contato estão sob maior risco.

E o que fazer?

Seu dermatologista irá orientá-la(o) de modo adequado em relação aos produtos, principalmente cosméticos, que você poderá utilizar com segurança, porque não incluirão em sua formulação os componentes que agravam esse quadro:

– Use, de preferência, cosméticos em pó
– Remova-os com água
– Evite cosméticos à prova d’água
– Evite os de cores escuras – os pigmentos podem piorar a irritação
– Use sombras claras
– Não use se o produto estiver fora do prazo de validade
– Escolha produtos com poucos ingredientes
– Evite esmaltes de unha

Fonte: Sociedade Brasileira Dermatologia

 

Pés grossos e rachados. O que fazer?

Pés grossos e rachados. O que fazer?

Pés grossos e rachados são uma queixa frequente nos consultórios dermatológicos e além do desconforto estético, podem interferir nas atividades diárias e tornarem-se dolorosos.

Resultam do espessamento da camada córnea, a camada mais superficial da pele,  composta pelas células mortas da pele que ainda não foram eliminadas. A principal causa provavelmente é o ressecamento dos pés, que tende a piorar com a idade. Algumas situações também induzem espessamento dessa camada mais superficial por um mecanismo protetor da pele contra fatores externos, como excesso de peso, alteração na forma de pisar, hábito de andar descalço ou até mesmo pelo tipo de calçado utilizado, principalmente  os que deixam os calcanhares expostos.

Deve-se ressaltar que algumas doenças caracteristicamente cursam com espessamento das plantas dos pés, mas será assunto abordado em outra publicação.

O espessamento da região plantar , principalmente nos calcanhares, mostra uma superfície amarelada, endurecida e espessa, e  que pode apresentar rachaduras e fissuras.

Deve ser compreendido que trata-se de uma resposta da pele à algum fator desencadeante, e este deve ser corrigido. Hidratação local é fundamental. Cremes hidratantes  e queratolíticos à base de ureia e/ou  ácido salicílico trazem excelentes resultados. Esfoliação ou utilização de lixas para os pés podem ser feitos 1 a 2 vezes por semana.

 

Cicatrizes, o que fazer para melhorá-las?

Cicatrizes, o que fazer para melhorá-las?

Para tratar as cicatrizes, inúmeras opções não cirúrgicas já estão disponíveis na dermatologia, com bons resultados estéticos.

As cicatrizes podem ser classificadas em queloidianas (altas e largas) hipertróficas (altas e escuras, mas sem ultrapasar a linha da cicatriz) ou atróficas (fundas). Sua classificação é de extrema importância para melhor condução de cada caso.

Os tratamentos visam diminuir a hipertrofia, o edema, e a vermelhidão da cicatriz. Para cicatrizes hipertróficas e queloidianas, adesivos ou infiltrações a base de corticosteróides apresentam bons resultados, pela atividade antiinflamatória do produto, que pode ser associada ou não a outros métodos.

Para as cicatrizes avermelhadas, podemos fazer uso da luz pulsada, que tratando o componente vascular, reduz o eritema da cicatriz.

Para cicatrizes mais altas, alargadas e que adquiriram aspecto endurecido, os lasers não ablativos e/ou os ablativos de CO2 fracionado, atuam remodelando e estimulando o colágeno, reorganizando as fibras da cicatriz e consequentemente melhorando o aspecto da mesma. Podem ser usados separadamente ou juntos, potencializando seus efeitos.

Pacientes que adquiriram hipercromia pós inflamatória, (cicatrizes escuras decorrentes de algum problema local prévio) também podem se beneficiar do uso dos lasers, em especial os lasers do tipo Q-Switch.

Consulte seu dermatologista para indicar o melhor tratamento para a sua cicatriz.

Cabelos caindo? O que fazer!

Cabelos caindo? O que fazer!


A queda de cabelo está entre as causas mais frequentes de visita ao dermatologista, especialmente em mulheres jovens, e pode tornar-se desesperadora para algumas mulheres.

O principal tipo de queda aguda de cabelos é o chamado eflúvio telógeno, um processo reativo desencadeado por inúmeros fatores que fazem com que grande número de cabelos entre na fase de queda ao mesmo tempo. Reflete-se como uma queda aguda e intensa dos fios que surge dois ou três meses após a instalação de um agente desencadeante.

Os pacientes geralmente se queixam unicamente que seus cabelos estão caindo muito, e normalmente mantém exame físico do couro cabeludo normal. Muitos pacientes apresentam “caspa” associada, o que pode piorar a queda e deve ser tratada.

Inúmeros fatores podem ser responsáveis pela queda: parto, cirurgias, traumas físicos ou emocionais, diabetes, alterações tireoidianas, febre, infecções, medicações, interrupção de anticoncepcionais, anemia, deficiências nutricionais, dietas muitos restritivas, entre muitas outras causas.

Radiação solar, irritação alérgica no couro cabeludo e tração dos fios, também são relatadas como fatores desencadeantes para queda.

Normalmente o problema se resolve espontaneamente de 3 a 6 meses após a retirada do fator causal, que sempre deve ser pesquisado nos casos de queda de cabelo.

O tratamento consiste primeiramente em identificar o fator desencadeante, podendo ser necessário realizar alguns exames. Uma dieta balanceada, rica em proteínas e ferro é sempre recomendada. Suplementação vitamínica oral e medicações tópicas podem ser utilizadas, mas o caráter benigno e auto-limitado do problema deve sempre ser informado, esclarecendo que mesmo com grandes volumes de queda de cabelo, é uma perda reversível, com tendência a recuperação total dos fios.
Procure seu dermatologista para mais informações.

 

Estrias, como aparecem e como tratá-las

Estrias, como aparecem e como tratá-las

As estrias são cicatrizes atróficas ocorridas principalmente pelo estiramento da pele e ruptura das fibras elásticas que compões a pele. O processo assemelha-se a ruptura de um balão de sopro, que a partir de certo limite, não suporta mais a distensão imposta e rompe-se. Ocorrem com frequência nas distensões de pele ocorridas durante a gravidez, ganho de peso, colocação de prótese de silicone, ganho abrupto de massa muscular, crescimento ósseomuscular rápido, dentre outras causas. Fatores genéticos e uso de corticosteroides também estão relacionados.
Localizam-se frequentemente nos flancos, abdomen, seios, nádegas e coxas.

No início as estrias são avermelhadas pelo processo inflamatório decorrente do rompimento recente das fibras, e esta é a melhor fase para tratamento. Com o tempo adquirem tonalidade esbranquiçada, correspondendo a uma cicatriz finalizada, de mais difícil tratamento.
Para sua prevenção, evitar grandes distensões de pele e hidratação regular são essenciais.

Na hora de tratar, o tipo de pele e tempo de evolução da estria são fatores importantes na escolha o tratamento.
Podem ser utilizados cremes a base de ácido retinóico em associação a procedimentos como microdermoabrasão, peelings químicos, luz intensa pulsada, subcisão, laser de CO2 fracionado e lasers não ablativos fracionados.
As estrias recentes irão responder mais facilmente a maioria dos métodos citados, com boa eficácia.
As estrias mais antigas (brancas), mostram bons resultados com uso do CO2 fracionado e laser não ablativo, isolados ou usados simultaneamente, que atuarão remodelando e estimulando a formação de colágeno nas lesões, resultando em diminuição das estrias antigas ou recentes.

 

Cuidado com filtro solar em menores de 6 meses de vida!

Cuidado com filtro solar em menores de 6 meses de vida!

A infância e a adolescência são consideradas períodos críticos de vulnerabilidade para a radiação solar.

Porém até os 6 meses de vida, os filtros solares devem ser evitados pela maior sensibilidade da pele e maior risco de absorção de substâncias .
Crianças até essa idade não devem ser expostas à luz solar direta. Ficar na sombra reduz até 75% a exposição solar. Além disso, uso de roupas e chapéus, especialmente com proteção ultravioleta (UV) devem ser recomendados, sendo uma maneira eficaz e prática de proteção solar. Pela American Academy of Pediatrics o protetor físico pode ser usado em pequena quantidade nas áreas de pele onde roupas adequadas não cobrem e sombra não está disponível.

Para crianças após os 6 meses de vida, os filtros solares são liberados. Deve-se dar preferência aos filtros físicos até os 2 anos de idade, por serem menos alergênicos que os filtros químicos.

Filtros físicos são os que contêm óxido de zinco ou o dióxido de titânio. Mustela, Johnson’s baby, Anthelios dermo pediatrics, Episol infantil são alguns exemplos de filtros físicos.

Proteção solar oral em cápsulas

Proteção solar oral em cápsulas

Polypodium leucotomos, um extrato de plantas naturais, com alta propriedade antioxidante, atividade anti-inflamatória e de proteção do DNA. É capaz de reduzir o impacto dos raios ultravioletas contra as células da pele, preservando os fibroblastos e mantendo sua capacidade de produzir colágeno, sendo o primeiro produto capaz de produzir fotoproteção oral. Reduz o eritema, o número de células danificadas pelo sol, a fototoxidade induzida pelas radiações UVA e UVB, além da ação anti-tumoral pela proteção do DNA.
O grande alerta é que o produto não substitui o protetor solar externo, apenas complementa a fotoproteção.
Como todo produto de uso interno, pode ter efeitos adversos e deve ser acompanhado por um dermatologista.
Olheiras: O que você precisa saber

Olheiras: O que você precisa saber

Olheiras, problema comum e que incomoda a maioria das mulheres, ainda é um desafio na prática dermatológica pelos poucos resultados terapêuticos obtidos.
O tratamento baseia-se primariamente na causa base da olheira, que pode ser hiperpigmentada, profunda (funda), vascular, decorrente de rinite alérgica ou por privação de sono. Boas noites de sono, e hidratação local são partes fundamentais de qualquer tratamento.
Inúmeros tratamentos a base de clareadores podem ser tentados, como retinol, hidroquinona, vitamina C, vitamina E, arbutin e peelings, com resultados variáveis.
Para olheiras profundas, encovadas, o preenchimento da área com uso de ácido hialurônico traz excelentes resultados, nivelando a área e deixando-a plana, com melhora da sombra escura que havia no local, iluminando a região.
Para as olheiras escuras hiperpigmentadas, os lasers para pigmento Nd-YAG Q-switched tem conseguido ótimos resultados. Como o pigmento da olheira é profundo, a utilização de lasers para tatuagem que atingem o pigmento mais profundamente, tem obtido boas respostas.

Licopeno: pílulas da beleza

Licopeno: pílulas da beleza

O LICOPENO é um antioxidante que ajuda a impedir e reparar os danos às células causados pelos radicais livres. Evidências científicas justificam que o consumo regular de licopeno diminui a incidência de diversos tipos de câncer, doenças cardiovasculares e processos degenerativos, como o envelhecimento cutâneo, desempenhando papel importante na sua prevenção.
O valor diário sugerido é 5 a 10mg diários.
Uma fonte importante de licopeno é o tomate. Também está presente na melancia, goiaba, mamão, beterraba, pimentão, entre outros alimentos. A biodisponibilidade do licopeno na dieta parece depender de diversos fatores, sendo melhor absorvido em alimentos cozidos e ricos em lipídeos(gorduras).
Como muitas pessoas não conseguem suprir a necessidade diária apenas com alimentação, pode-se recorrer a cápsulas contendo licopeno, as chamadas “pílulas da beleza”, como: Imedeen, Innéov Fermeté, Oxxynea, Nutriger, Equaliv Licopeno, Eximia Temporize, e diversas outras.

 

10 dicas úteis de cuidados com as unhas

10 dicas úteis de cuidados com as unhas

– As unhas devem  ser aparadas de modo a evitar o acúmulo de sujeira. Mas, não corte as unhas até o “sabugo”, deixe sempre uma pequena porção da borda livre;


-A cutícula não deve ser retirada, pois isso deixa a unha desprotegida e facilita a entrada de fungos e bactérias
;


-Às adoradoras das unhas pintadas, um aviso: deixe-as sem esmalte uma semana por mês, no mínimo. O uso ininterrupto de esmalte causa ressecamento, desfolhamento e enfraquecimento das unhas. Durante o período de intervalo, deve haver a aplicação de hidratantes próprios para evitar o ressecamento
;


-O uso de acetona pode tornar as unhas mais frágeis e quebradiças. Se, no salão de beleza, a profissional fizer esse tipo de sugestão, recuse. Prefira os removedores de esmalte, que não contém acetonas;


-O hábito de lixar a parte de cima da unha pode ser prejudicial, pois retira camadas de queratina e deixa as unhas mais frágeis e finas.


– Evite deixar as mãos úmidas por muito tempo. A umidade excessiva favorece o surgimento de micoses como o “unheiro”
;

– Tenha o seu próprio material de manicure ou use apenas material que foi esterilizado em autoclave para evitar a transmissão de micoses de unha;

– Qualquer alteração como bordas desfolhando ou quebrando, manchas, descolamento ou espessamento da unha, procure um dermatologista para o correto diagnóstico e tratamento;

– Não corte as unhas dos pés pelos cantos, isso evitará que elas encravem;

– Se a unha está encravada, cortar o canto que encravou não vai resolver o problema. Quando a unha crescer, vai encravar de novo. Procure um dermatologista para o tratamento adequado. (FALAREMOS EM BREVE SOBRE ESSE TEMA).

Fonte: SBD e Dermatologia.net

Na hora de ir à praia, atenção na hora de escolher a barraca de praia

Na hora de ir à praia, atenção na hora de escolher a barraca de praia

A Sociedade Brasileira de Dermatologia recomenda que todas as medidas de proteção sejam adotadas na ocasião da exposição ao sol: protetores solares, uso de chapéus e camisetas UV. É importante ressaltar que as barracas usadas na praia sejam feitas de algodão ou lona, que absorvem 50% da radiação ultravioleta. As barracas de nylon formam uma barreira pouco confiável, 95% dos raios UV ultrapassam o material. É importante lembrar que deve ser evitada a exposição solar entre 10 e 16h (horário de verão).

Publicado pela SBD